8 de jul de 2014

Prismatic World Tour: Review da turnê


Oi gente E-E

A maioria aqui sabe que eu sou uma pessoa "muito" pacífica que "AMA" os Lirou Merdas (99% do fandom Little Monster, da Lady Gaga) e adora plantar a discórdia.
Acontece que eu estava vendo o site Popline quando eu achei um post falando mal da Prismatic Tour, que obviamente foi escrito por um Lirou que acha que a Artflop Bola Turnê Artrave Ball Tour samba em algo.


Agora, se você é um desinformado, deve estar se perguntando o que é a Prismatic World Tour.
A PWT (sigla pra Prismatic World Tour) é a turnê do álbum mais recente da Katy Perry, o Prism.


Primeiramente, vocês devem estar cientes da forma do palco, porque ela não é aqueles normais e retos:


Então, vamos começar o show!
A intro é basicamente um remix da música Peacock enquanto aparecem fotos da Katy num hospício, tudo girando e tinta neon voando por ai, numa pegada bem psicodélica.
A primeira música que toca é o hit Roar, enquanto Katy pula corda. Depois, vem ela correndo numa esteira enquanto canta Part Of Me e então é erguida numa plataforma enquanto canta Wide Awake. Logo depois, vem um mashup das faixas This Moment e Love Me. A roupa que Katy usa enquanto canta essas músicas é essa:


Depois, vem a segunda parte do espetáculo, que conta com uma temática egípcia completa. Katy canta Dark Horse (a performance tem direito ao cavalo, que sofreu bullying e foi excluído nas gravações do clipe), E.T (sem os vocais de Kayne West), Legendary Lovers e I Kissed a Girl. A roupa (e o cavalo) usados durante essas músicas são esses. A foto dela sendo erguida é de ET:




Ai, vem Hot n' Cold, numa performance totalmente dedicada aos gatos. Vale lembrar que Katy é totalmente viciada em gatos. Em todas as turnês dela, ela se veste de gato pelo menos uma vez no show (sendo que na turnê passada, ela colocou um cara para desfilar de gato roxo e peludo). Na PWT, há os quatro dançarinos das ouras performances vestidos de gato e a própria Katy:



Então, vem um mashup de Vogue (da Madonna) com International Smile ironicamente, eu estava escrevendo esse post com a minha Playlist no aleatório, e agora começou a tocar International Smile.


Logo, essa parte do espetáculo é substituída pelas músicas acústicas: By The Grace Of God, Unconditonally, uma versão de The One That Got Away com trechos pequenos de Thinking Of You e o público escolhe se eles preferem ouvir Double Rainbow ou Ghost. Nesse ato, não há coreografias, dançarinos ou muitas loucuras. Só Katy e o violão (sem contar com flores e uma peruca). Katy as vezes oferece Coca Cola ou cerveja para alguém do público (ela pergunta se a pessoa é maior de idade quando oferece cerveja):



A próxima etapa recupera todo o fôlego e animação do resto do show: Walking On Air vem com tudo. Katy veste, nessa música, uma versão da roupa de International Smile com uma saia. Katy voa por cima de um tecido azul enquanto canta:


A próxima música é It Takes Two. Katy canta usando uma roupa inspirada no Ying Yang e uma saia enorme:



Depois, chega um mashup de Last Friday Night e This Is How We Do, seguido de Teenage Dream e California Gurls:




Por fim, vem a penúltima música: Birthday. A apresentação é bem ousada, e a roupa é uma segunda pele com desenhos "estrategicamente" posicionados. Vale ressaltar que Katy chama alguém da Reflection Section (a parte do público que fica no meio do palco) ou da pista para dançar com ela enquanto ela canta Birthday, perguntando "Quem faz aniversário hoje?":





O espetáculo termina com o hit Firework. Fogos de artifício explodem, imagens dos mesmos aparecem no telão e todos cantam:


Assim termina o show. Por que eu fiz esse post todo? Para vocês poderem comparar uma versão apática da turnê, criarem suas opiniões, lerem isso (retrato do PopLine sobre a turnê, feito por um Lirouzinho revoltado). Vale lembrar que é a Katy que organiza toda a turnê, ela que bola tudo, então aquilo é algo de dentro dela.
Agora, comparem as críticas desse Lirouzinho anti-profissional com as de críticos especializados:
Crítica do Washington Post (ou se preferir, clique aqui e veja a tradução de um trecho dessa crítica)
Crítica da Rolling Stone
Crítica da Billboard
(OBS: todas as críticas acima estão em inglês, foram feitas por críticos de verdade e falam muito bem da turnê.)

Agora, a minha opinião: Essa turnê é o samba do ano e do ano que vem. É mais que uma turnê, é um espetáculo. Com quase 130 shows já marcados,  todos os que já foram realizados estavam praticamente ou totalmente esgotados, sendo que os ingressos estavam com um preço salgado. As coreografias são lindas. A setlist é ótima. As roupas são fantásticas. O show de luz é perfeito. As perucas são muito bonitas. A Katy canta bem. É simples.

Para ver o show completo, clique aqui, aqui ou aqui.

Então, é isso. Comentem a opinião de vocês sobre a turnê.

5 comentários:

  1. Eu gostei dessa tour. Foda-se se KatyCats e LittlesMonsters brigam, eu gosto das duas cantoras :V, e eu gostei da fantasia de gato da Katy E-E.
    Desculpa Gaga, mas dessa vez você flopou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *Little monster (teclado de pobre é assim mesmo -q)

      Excluir
    2. Eu também E-E
      q
      Artflop Espaço Para Dançar Bola Turne flopou, e a Gaga apelou geral

      Excluir
  2. Eu gosto das duas cantoras, Katy Perry e Lady Gaga, me lembro perfeitamente (talvez não tão perfeitamente assim) de como as conheci ;u;
    Primeiramente, vamos falar sobre o Prismatic Tour. Já tinha visto várias fotos dele nas redes socais, e tudo me pareceu incrível. Agora lendo a postagem, devo dizer que é bem mais do que eu imaginava. O final do show parecer ser fodástico, principalmente porque Firework é uma das minhas músicas favoritas <33
    Sobre a briga dos fandoms, eu não tenho o que dizer. Não sou KatyCat ou Little Monster, e como já disse, gosto das duas cantoras.
    E sobre a crítica feita pelo moço Bernardo, como blogueira, acredito que ele deveria tomar mais cuidado com os termos que utiliza ao expressar sua opinião. Afinal, sempre haverá dois pontos de vista, e ambos devem ser respeitados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito incrível. Quando passar aqui pelo Brasil ~vai ser em algum ponto entre julho e dezembro de 2015~ eu vou ir 'u'
      As vezes tem bis em Firework <333
      O fato é que os Lirous começaram isso em 2008, e continuam até hoje, em especial porque Prism e Artpop foram lançados mais ou menos na mesma época, e Roar barrou o único single do Artpop com potencial.
      Eu acho que ele devia ir pra Skye Que Pariu mesmo

      Excluir

Não serão aceitos pedidos de design ou de oc's (exceto, é claro, se for um post de pedidos). Tenha educação comigo e eu terei com você. Se for criticar, mantenha a educação. Obrigada por comentar.