20 de ago de 2014

Melhores sagas atuais para ler


OE E-E

Então, eu tava rodando na Internet e percebi algumas coisas: muita gente só gosta de ler sagas atuais. Nada de coisas que se passem no passado, como O Senhor dos Anéis ou Game Of Thrones; ou livros tipo diário (porque esses são fáceis de ler e dificilmente contam com fantasia). A maioria lê Harry Potter e depois fica na dúvida de o que mais ler porque realmente tem muitas sagas. Então, eu decidi fazer algumas resenhas de cada saga que eu já li e se passa no presente (de 2005 pra cá) ou num futuro alternativo.
Let's Go!
[contém Spoiler leve]


A Seleção
Gêneros: Romance, distopias, aventura
Quantidade de livros: A Seleção, A Elite, A Escolha, Contos da Seleção (esses já foram lançados). Vão lançar em 2015 um "Contos da Seleção 2.0" (sem título ainda) e O Herdeiro/ A Herdeira (o título só foi liberado em inglês por enquanto, e não especifica se é menino ou menina).
Ano em que se passa: Mais ou menos em 2150
Autora: Kiera Cass
Tipo de narração: Primeira pessoa

Kiera conseguiu combinar romance com um pouco de aventura sem deixar zzzzz como Crepúsculo. A história se passa numa futura América do Norte, em que os países se uniram para criar um novo, chamado Illea (devido a algumas circunstâncias que não vem ao caso). O fato é que esse país é uma monarquia, e é dividido em 8 Castas (sendo que os 8 são os ladrões, mendigos e deficientes e os 1 são do clero e a nobreza). E o príncipe do país, Maxon, está fazendo aniversário de 19 anos, o que quer dizer que agora ele tem que encontrar uma esposa. É tradição do país que ocorra uma Seleção entre 35 garotas do país - uma por cada província - de qualquer casta para irem até o palácio, ficarem com o príncipe lá, batalhando pela coroa, até que ele escolha uma delas.
A protagonista, America (ela é uma 5, cantora), já tem um namorado, chamado Aspen (que é um 6, que faz trabalhos pesados). Só que a mãe dela quer que ela participe da Seleção para 1- subir de casta e levar a família junto e 2- ter pelo menos a chance de ter um futuro melhor. Só que ninguém sabe que a America e o Aspen namoram. Então ele dá um pé na bunda dela e ela vai pra Seleção pra tentar esquecer dele. Só que ela é escolhida pra representar a província dela e ir pro palácio, tentar conquistar o coração do príncipe. Vale lembrar que a America odeia ele e espera o pior do cara.
Eu achei que a Kiera foi um gênio. Foi praticamente o único triângulo amoroso de saga completa que eu li e não morri de tédio. Ambos os caras são legais e a America não é um porre como "outras" que eu mostrarei nas outras resenhas.


Divergente

Gêneros: Distopias, romance, aventura, ação
Livros: Divergente, Insurgente, Convergente, Free Four (sem título em português)
Ano em que se passa: Não é dito especificamente, mas eu suspeito que seja algo entre 2070 e 2300
Autora: Veronica Roth
Tipo de narração: Primeira pessoa

Numa Chicago futurista que fica dentro de uma cerca e é dividida em facções que cultivam a cultura que seus nomes transmitem (Abnegação, Audácia, Erudição, Franqueza, Amizade e os Sem-Facção), você pode mudar de facção aos 16 anos (se não for um Sem-Facção, ou seja, um mendigo que não conseguiu passar no teste da facção). Mas é só uma vez na vida, e isso define o seu futuro. Você pode largar a sua família e nunca mais olhar pra trás, indo pra outra facção, ou permanecer no território conhecido. Cada facção tem uma cor que é a única permitida nas roupas de seus membros: azul para Erudição, preto e branco para Franqueza, amarelo e vermelho pra Amizade, preto para Audácia, cinza para Abnegação e roupas esfarrapadas e sujas pros Sem-Facção. Eles seguem um padrão: os da Amizade são afetados e divertidos, os da Franqueza falam na cara, os da Erudição só conversam sobre coisas de escola, os da Audácia são os V1D4 L0K4 e os da Abnegação fingem que não existem. Você faz um teste de aptidão quando está indo escolher se vai mudar de facção ou não, que é feito por um teste de realidade virtual em que um monitor analisa você e diz qual a sua facção - só uma, sempre só uma - e você não deve contar o resultado pra ninguém.
No meio disso, tem uma garota da Abnegação chamada Beatrice. Ela tem 16 anos, e fará sua escolha no dia seguinte. Hoje é o teste de aptidão. Ela se sente insegura, porque nunca foi muito Abnegação, mas não quer abandonar a família.
Na hora do teste dela, qual o resultado? Ela faz algo que não devia: tira três facções em vez de só uma (Audácia, Abnegação e Erudição). Isso é chamado de Divergente. A monitora do teste dela diz pra ela deve fingir que o teste deu Abnegação caso lhe perguntarem, porque é isso que a monitora vai colocar no sistema, pra não descobrirem o que ela é (porque dizem que os Divergentes são perigosos).
Ai a Beatrice escolhe a Audácia porque não se encaixa na Abnegação e não curte a Erudição. Lá, ela muda o nome dela pra Tris, faz amigos novos entre os Iniciados e tem que passar por um teste que inclui lutas, tiros, uso de armas, artes marciais, estratégia de batalha e superar seus medos. Ela começa um romance com o instrutor dela, o Quatro (sim, Quatro, como o número).
Depois, rolam umas guerras com tiro, porrada e bomba (mentira, só tiro, porrada e facas na mão). É bem mais emocionante do que parece, apesar de Insurgente ser um porre.
Qual o bônus? O filme é bom. Apesar de o Theo James não ser lá muito bonito, ele combina com o Quatro. E a Shailene Woodley é basicamente a Tris do livro.


Jogos Vorazes

Gêneros: Aventura, romance, distopias, ação
Livros: Jogos Vorazes, Em Chamas, A Esperança
Ano em que se passa: Não é especificado, mas eu estimo mais ou menos algo entre o ano de 2200 e o de 2600
Autora: Suzanne Collins
Tipo de narração: Primeira pessoa

O livro se passa num país chamado Panem, sobrevivente de diversos desastres naturais e guerras, que era a antiga América do Norte. O país é dividido entre 12 Distritos (os pobres e trabalhadores e esfomeados), a Capital (os ricaços) e o 13º Distrito, que foi desativado pela Capital.
74 anos antes do primeiro livro, os habitantes dos 13 Distritos (o 13º ainda existia) se rebelaram contra a Capital por passarem fome e fazerem trabalho quase escravo, sendo que o líder da rebelião era o Distrito 13. A Capital ganhou a guerra contra os Distritos, e como punição, além de bombardear o D13, eles criaram os Jogos Vorazes: um reality show em que cada Distrito tem que enviar um casal de jovens de 12 até 18 anos (que são sorteados) pra uma arena, em que eles vão lutar até a morte até só sobrar 1 vencedor. Isso ajuda a distrair os habitantes da Capital da realidade e a manter os Distritos sob controle.
De qualquer forma, vamos pra história. Há uma habitante do Distrito 12 que quebra as leis - ela sai pra fora da cerca em volta do D12, na floresta, pra caçar, sendo que isso é proibido com pena de morte. Seu nome é Katniss, e ela faz isso pra sobreviver. Ela come uma parte da caça e vende a outra. Ela faz isso porque ela é extremamente pobre, passa fome, o pai morreu e ela tem que sustentar a família porque a mãe não consegue fazer isso sozinha. E ela tem um amigo chamado Gale que vai caçar com ela, quer dar uns pegas nela, é um friendzone que ela não corresponde.
Então, na 74ª edição dos Jogos Vorazes, eles sorteiam uma garota do D12 que muda a vida da Katniss - não é ela, é a sua irmã, Prim. Ai a Katniss faz algo que nunca fizeram antes: se voluntaria pela irmã (você pode se voluntariar, mas costumam fazer isso nos Distritos 1, 2 e 4, onde treinam os tributos como uma carreira. No D12, tributo é sinônimo de cadáver).
E o tributo masculino do Distrito dela? Peeta, um cara pra qual ela deve praticamente a vida, e que eles nunca se olharam no rosto.
Ao chegar na Capital, pros Jogos, o estilista dela faz ela ficar popular lá (mas a Katniss odeia a Capital com todas as forças do coração amargo dela). E ela tem que fingir que ama o Peeta na arena pra sobreviver, além de não morrer lá e lutar até a morte.
Não vou falar muito, porque o resto é spoiler, mas é bem legal.
O bônus? Colocaram o elenco mais divertido e coerente do mundo, na melhor adaptação dessa lista. Jennifer Lawrence como a Katniss é a perfeição, tanto quanto o Josh Hutcherson como Peeta, a Willow como Prim ou a Jena e o Sam nos seus respectivos papéis do 2º e 3º livro.

Percy Jackson & Os Olimpianos

Gêneros: Ação, mitologia, fantasia, aventura
Livros: O Ladrão de Raios, O Mar de Monstros, A Maldição do Titã, A Batalha do Labirinto, O Último Olimpiano. Livros extras: Arquivos do Semideus, O Guia Definitivo de Percy Jackson & Os Olimpianos. A saga é seguida por Heróis do Olimpo, no mesmo universo.
Ano em que se passa: O primeiro livro é em 2006, e os próximos são 1 ano a frente em sequência (menos em A Maldição do Titã, esse é 6 meses depois de O Mar de Monstros e 6 meses antes de A Batalha do Labirinto).
Autor: Rick Riordan
Tipo de narração: Primeira pessoa

Um garoto comum (ou quase, tirando o fato de que ele é disléxico e hiperativo, ser filho de mãe solteira, ter um padrasto nojento que odeia ele e o garoto só causar confusão), chamado Percy (apelido de Perseu), depois de ter alguns probleminhas envolvendo literalmente pulverizar a professora de matemática que deu aula pra sala dele por 6 meses - e depois de pulverizar ela, ninguém mais lembra que a professora existiu, só o Percy. Ele só tem um amigo - um cara chamado Grover que anda de muletas, e o único professor que gosta dele é um cadeirante chamado Quíron, o professor de latim. Então, um dia, o Percy ouve o professor Quíron conversando com o Grover sobre o Percy e a professora que foi transformada em pó (sendo que ambos os participantes da conversa fingiam que ela não existia), mas ele deixa quieto.
Depois das aulas, o Percy volta pra casa (a escola é um internato), e a mãe dele resolve sair de férias com ele. Eles moram em Nova York (Manhattan, eu acho), e vão pra Long Island. Lá, o carro deles é atacado por uma... coisa? O Minotauro. O Percy incrivelmente mata o Minotauro, sem ter habilidade nenhuma. Só que ele desmaia. E quando acorda, ele tá num acampamento pra Semideuses, descobre que o Quíron é um centauro e o Grover é um sátiro, conhece uma garota loira chamada Annabeth que não vai com a cara de ninguém, uma bully chamada Clarisse e um cara legal e meio amargo chamado Luke.
Ai o Percy descobre que ele é filho de Poseidon, o rei dos mares, e que Zeus acha que o Percy roubou o raio mestre. E lá vai o Percy, com a Annabeth-que-é-mais-fria-que-pedra e o Grover pra Los Angeles, salvarem o mundo.

O legal da saga é que você não é forçado a gostar do protagonista e dos amigos dele, diferentemente de Jogos Vorazes e Divergente. O Percy definitivamente não é um herói: é no mínimo um pouco covarde, nada habilidoso, meio tonto, lerdo, sem noção, não tem tipo físico de herói e ficaria melhor como o "fiel escudeiro" do que como o protagonista (pelo menos no primeiro livro). Além disso, o tio Rick é um gênio do humor, e o Percy faz piada com tudo sem soar mais petulante do que ele já é. E o Riordan faz com que o Percy literalmente converse com você, o que torna um livro relax. Você acompanha o Percy crescer e passar de um perdedor magrelo pra um lutador.


Instrumentos Mortais

Gêneros: Ação, romance, religião, ficção, fantasia, aventura
Livros: Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas, Cidade de Fogo Celestial. É seguido de uma versão do passado no mesmo universo, a trilogia As Peças Infernais, e tem mais três coleções no mesmo universo sem título em português ainda
Ano em que se passa: 2007
Autora: Cassandra Clare
Tipo de narração: Terceira pessoa

De longe, essa é a melhor saga que eu já li, perdendo talvez para Harry Potter. A leitura é suave, mas sem perder a sofisticação.

Uma garota comum do Brooklyn (Nova York), de quase 16 anos, chamada Clary, vai pra uma boate com seu amigo de sempre, o Simon (que é um garoto normal de 16 anos: joga RPG, tem uma banda, joga videogame, reclama sobre ser o Player 2 quando joga na casa dos amigos e faz piada com qualquer bosta, além de usar a ironia sem ser grosso).
Ai a Clary vê um cara de cabelo azul indo pra uma sala dos fundos da boate com uma garota de cabelo longo e vestido branco. Embora seja normal nas boates, ela segue eles por simples curiosidade. Na sala dos fundos, ela vê a garota com mais dois garotos - um loiro que a Clary acha parecido com um leão (bombado, dourado e muito, muito, muito, muito gato) e o outro moreno e pálido, parecido com a menina do vestido branco. Os três tem tatuagens estranhas na pele, e os garotos vestem preto. Ela descobre que o loiro se chama Jace, o outro garoto se chama Alec e a garota se chama Isabelle. Os três começam a matar o cara de cabelo azul, falando coisas sobre um tal de Valentim.
Ai a Clary solta um berro e manda os caras pararem de tentar matar o moleque de cabelo azul. Ai o trio de tatuados (sendo que a Isabelle tem um chicote e os garotos tem umas espécies de varinhas brilhantes) parecem surpresos por ela estar lá, e eles começam a fazer perguntas pra ela chamando ela de mundana e falando que o cara de cabelo azul é um demônio. Enquanto isso, o cara de cabelo azul se solta e ataca o Jace. Ai a Isabelle mata o pivete de cabelo azul. Depois, aparece o Simon com a polícia, mas nem o Simon e nem os policiais conseguem ver a Isabelle, o Jace ou o Alec.
No dia seguinte, a Clary tem uma briga com a Jocelyn (mãe dela) e o Luke (que é o melhor amigo/ friendzone da mãe dela), e ela vai com o Simon numa cafeteria ver um amigo deles, o Eric, fazer poesia (que é uma merda). Lá, ela vê o Jace (que por acaso nem parece que levou garras de demônio no meio do torax na noite anterior). Ele chama ela pra fora da cafeteria, e ela vai. Ai ele fala umas coisas sobre ter que levar ela pra um Instituto, e a mãe da Clary liga pra ela e manda ela "não voltar pra casa, dizer pro Luke que 'ele' achou a Jocelyn e que ela ama a Clary". Depois, a Clary liga de novo mas ninguém atende, e ai o celular cai da mão dela e quebra. Ela pega um treco que parece um celular do Jace e corre pra casa. Chegando em casa, tem um jacaré gigante e demoníaco que ataca a Clary (sendo que o apartamento tá todo detonado e vazio). Ai ela enfia o treco-que-parece-um-celular-mas-não-é do Jace na boca do bicho (depois de ser atacada), e fica deitada no chão, sangrando, com aquele bicho em cima, até o Jace aparecer e tirar ela de lá. Ele fala algumas coisas sobre demônios e ela desmaia nos braços dele. Nesse ponto, eu te obrigo a já estar shippando eles.
Ai ela vai pro Instituto (carregada pelo Jace), volta ao normal, fala com os caras lá, descobre que isso é uma especie de sociedade secreta de matadores de demônios, chamados Caçadores de Sombras, que é isso que o Jace, o Alec e a Isabelle são, que eles tem um instrutor chamado Hodge e vivem no tal Instituto. Depois de muita treta, falar com uma espécie de monge, descobrir que tem um bloqueio na mente, invadir um hotel de vampiros, dar uns pegas no Jace, se meter numas tretas fodásticas e descobrir que é uma Caçadora de Sombras, a Clary vive umas aventuras muito loucas, com um vilão diabólico e o grupo de amigos mais estranho do mundo: Simon, Jace, Alec e Isabelle.

Eu diria que o primeiro livro é de longe o mais chato. O segundo já começa emocionante pelo fato de que o Jace só se ferra. O terceiro pega o impulso do segundo e termina com o final mais inusitado o possível. O quarto é meio sonolento. O quinto me fez chorar pela Clary e o Jace. O sexto tem muita merda, putaria, loucura e é o melhor (e também me fez chorar, por motivos diferentes do quinto).
Sobre o romance da Clary e do Jace? É o melhor romance de livros que eu já li. A Clary começa se entregando pro Jace, e depois ela vai destruindo as barreiras que ele criou pra se fechar pro mundo, até chegar no coração dele (e isso dá um trabalho do caramba). Eles pertencem um ao outro, e as circustancias desse amor fazem com que tudo fique mais interessante. Não é aquele casal chato preso num triângulo amoroso (Bella e Edward), aquele casal falso em que o cara é comprometido e a garota manda se foder (Katniss e Peeta), aquele casal que é fruto de uma mistura de friendzone com amor fraterno e parece mais amizade que namoro (Gina e Harry), aquele que só briga (Rony e Hermione), aquele que só serve pra lutar junto e se pegar (Tris e Quatro) ou aquele em que a garota demora pra perceber que gosta do cara (America e Maxon). Clary e Jace são aquele casal que não é só pegação, é amor; o casal que é um time, uma dupla, duas metades da mesma coisa; que pertencem um ao outro, e sabem disso. Eu nunca shippei um casal tanto, e eu shippo até comida.



Depois desse discurso de 4307348356783268726328936478365938 páginas, venho-lhes perguntar: já leram algum dos livros da lista? Suas opiniões sobre os livros e sobre os resumos? Comentem!

10 comentários:

  1. DFHDHFDKJFDJFDSJFSJFSDJF SOCRRO,MORRI COM O RESUMO DE INTRUMENTOS MORTAIS
    Queria ler tudo,mas o dinheiro não ajuda ;-; (ser pobre é uma merda)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu resumi os 3 primeiros capítulos e só :v
      ao link de um PDF de Cidade dos Ossos: http://static.tumblr.com/aqca3gy/IgMmbl8ue/cidade_dos_ossos.pdf

      Excluir
  2. Mossa, suas resenhas me fazem querer ler mais os livros ;u; mas o tempo não ajuda e eu tenho livro bagarai pra terminar <\3
    Adorei, sério <3

    ResponderExcluir
  3. Nunca pensei em ler Instrumentos Mortais, é muito longo -q
    Dessa lista eu li quase todos ~ui que culta~, mas é mais porque a maioria é trilogia, e eu não tenho preguiça u-u
    Adorei suas resenhas E-E
    Porque a maioria que eu vejo é uma coisa chata que da sono -q
    Enfim, não sei mais o que dizer.
    Bái '3'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Instrumentos Mortais é fabuloso. Mas os livros tem uma média de 450 páginas cada, são 6 livros e ainda tem 1 trilogia do mesmo universo lançada e 3 pra lançarem.
      OBG E-E
      q
      Beijus '3'

      Excluir
  4. Cadê Maze Runner pô ??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li Maze Runner. Gostei do primeiro, mais ou menos do segundo, broxei no terceiro, não curti o quarto. Achei desnecessário matar o Chuck, o Newt e a Teresa. Apesar de TMR ser uma ótima distopia, não acho que mereça entrar na minha lista. Talvez eu faça uma versão 2.0 desse post com TMR depois de avaliar melhor, mas eu funciono assim: eu leio o livro, me apaixono incondicionalmente, depois vou decaindo, acho defeito em tudo e ai volto a gostar numa proporção adequada. Eu estou com Maze Runner no quarto estágio, por enquanto.

      Excluir
  5. Instrumentos Mortais já é foda. Daí vc lê As Peças Infernais q é no passado e vc percebe q achou a perfeição em forma d saga. Mas então brota Artifícios das Trevas q é 5 anos dps de TMI e seu coração explode d tantos feels. Em resumo: leiam tds os livros da Cassanda Clare pq essa mulher tem o dom maravilhoso d evoluir em cada livro.
    Eu tb shippava mt Clace, mas só pq era o único casal em foco na saga. Então surgiu Malec, Sizzy, heronstairsgray, blackstairs, kitty, waywood e agora já me afundei tanto q não tem mais volta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cassandra Clare é um poço em que você afunda tanto que, quando percebe, já chegou ao núcleo da terra.

      Excluir

Não serão aceitos pedidos de design ou de oc's (exceto, é claro, se for um post de pedidos). Tenha educação comigo e eu terei com você. Se for criticar, mantenha a educação. Obrigada por comentar.